Dicas/artigos

10 dicas de limpeza para quem tem gatos

Gatos amam um cantinho limpo, afinal, passam boa parte do tempo se limpando. Além disso, um ambiente higienizado é essencial para a saúde deles. Então seguem algumas dicas para ter a casa limpinha do jeito que você, e o gato, gostam!

Produtos: Antes de mais nada, atente para a segurança do seu gato e os produtos que você usa. Não deixe ele deitar no chão onde você acabou de passar desinfetante e evite lavar as cobertas e caminhas deles com produtos muito fortes ou com aroma — quanto mais neutro, melhor para eles. Lembre-se também de manter os produtos de limpeza em locais que o gato não tem acesso.

Xixi: Para limpar urina de gato, os melhores aliados são vinagre branco e produtos enzimáticos (vendidos em pet shops). Qualquer outro produto só mascara o cheiro para você, mas não para o gato — o que pode levá-lo a urinar mais vezes nesse mesmo lugar.

Tapete para caixa de areia: Para evitar grãos de areia pela casa, uma ótima solução é colocar um tapete na caixinha, que servirá para reter os grãos que caem para fora ou grudam nas patas. Existem tapetes específicos para este fim nas pet shops, mas um capacho de borracha costuma ser mais que eficiente.

Farinha de mandioca: A farinha de mandioca ajuda a absorver a umidade e reduzir o cheiro da caixinha de areia. Você pode misturar um pouco à areia que o gato já está acostumado ou substituí-la completamente (aos poucos, para o miau não estranhar). Leia mais sobre isso aqui.

Produtos à base de amônia: São ótimos para eliminar microrganismos nocivos, principalmente se você faz lar temporário para animais resgatados ou se seu peludo pegou algum parasita ou infecção recentemente. O único porém é que esses produtos são extremamente tóxicos e podem até matar seu gato caso as instruções da embalagem não sejam seguidas à risca — eles devem ser diluídos em centenas de partes para um.

Aspirador de pó: O grande aliado contra pelos, mas também contra… pulgas! Se você tem problemas frequentes com essas danadinhas, precisa de um aspirador com no mínimo 1000 W. Essa é a potência necessária para remover os ovos e lavas de pulga do ambiente, que correspondem a 99% da infestação (apenas 1% das pulgas fica de fato no animal).

Jogo americano para os pratinhos: São especialmente úteis para gatos mais afobados que derrubam comida para fora. Além de manter o chão limpo, um jogo americano também evita que o gato coma ração ou sachê que caiu no chão, o que é melhor para a saúde dele desde que o jogo americano seja lavado com frequência.

Pratinhos de louça: Os pratinhos e comedouros de plástico juntam muito mais bactéria por serem porosos (veja aqui) e podem até causar uma condição chamada acne felina (leia aqui). O ideal é que sejam de porcelana, cerâmica, aço inoxidável, e a melhor forma de higienizá-los é com água bem quente, todos os dias. Assim, evita-se o uso de detergente que pode ser nocivo e cujo cheiro incomoda muito alguns gatos.

Castração: Dentre os inúmeros benefícios da castração está evitar que o gato borrife xixi para marcar território nas suas coisas. Ah, e gatas fêmeas também borrifam! Quanto mais cedo for realizada a castração, maiores as chances de o gato não adquirir esse hábito.

Mantenha seu gato saudável: Como nós, gatos gostam de ficar sempre limpos e se seu gato está sujo, cheirando mal ou não se banha frequentemente, ele provavelmente está doente e precisa de uma visita ao veterinário. Aqui entram também doenças psicológicas, que podem ser causadas inclusive por excesso de gatos na casa (um stress imenso para eles), por isso é importante oferecer um ambiente adequado para o peludo.

Artigo retirado do site:https://gatinhobranco.com/?p=4838

Dicas para cuidar do seu gato

Estresse - Para aliviar o estresse do seu gatinho, ofereça atividades que sejam condizentes com suas características comportamentais, permitindo que ele possa saltar, explorar, escalar, caçar, arranhar e enterrar as necessidades.

Solidão – Você sabia que estão aumentando os relatos de gatos que demonstram sentir muita falta do tutor quando estão sozinhos? Para saber se seu gatinho está se sentindo sozinho, preste atenção em sua vocalização, por exemplo, ela pode ser um indício importante de carência. Eles também podem ser muito sensíveis ao toque, e especialmente os que gostam desse contato parecem se “arrepiar” quando tocamos em suas costas.

Habitat - O gato pode se adaptar muito bem a locais pequenos sem se estressar. Basta o tutor estar preparado para recebê-lo, de acordo com suas características comportamentais, o animalzinho pode viver muito bem em um apartamento, e terá seu bem-estar garantido.

Crueldade – Denuncie a prática de clínicas cortam a cauda do felino. O ato é considerado crime de maus-tratos. Segundo a técnica em Medicina Veterinária do CRMV-SP (Conselho Regional de Medicina Veterinária), Tatiana Pelucio, “as cirurgias estéticas são consideradas mutilações, sendo, portanto crime ambiental, conforme determina o artigo 32 da Lei Federal 9605, de 12 de fevereiro de 1998, isso se aplica a qualquer animal (silvestre ou doméstico).As Resoluções nº 877/08 e 1027/13 do Conselho Federal de Medicina Veterinária também determinam a proibição das referidas cirurgias”, explica.

Gato em fuga - Se seu gatinho fugiu de casa saiba que ele é um animal com instinto exploratório muito aguçado e pode sair de seu habitat para explorar novos locais ou mesmo para procriar, caso não seja castrado. Ele pode não voltar porque acidentes, nessas situações, são comuns de acontecer. Fique atento!

Liberdade – Você pode deixar seu gatinho livre em todos os lugares da sua casa. Mas atenção, tenha telas em janelas e varandas e enriqueça ambientes da casa de acordo com as características comportamentais dele.

Bola de pelo – Não se assuste se seu felino vomitar pelos. Muitas vezes, o acúmulo de pelos oriundos dos hábitos de higiene (gatos se lambem para se limpar) no sistema digestivo forma a chamada bola de pelos, que é propositalmente forçada até ser expelida pela boca.

Ronronar – Fique com a orelha em pé ao ouvir os barulhinhos que seu gato faz. Os cientistas ainda não sabem ao certo como é produzido o ronronar e suas causas. Mas as teorias mais aceitas atualmente são de que ronronam quando estão relaxados, tranquilos e felizes, quando são filhotes e estão perto da mãe, e também quando estão com dor, assustados e se recuperando de alguma lesão.

Preconceito – Diga não às superstições! Há preconceito com gatos pretos e muitos ainda são rejeitados em feiras de adoção. Esse mito provém da Idade Média, quando se acreditava que gatos pretos eram ligados ao demônio. Muitos, inclusive, foram sacrificados por serem pretos. Uma bobagem!

Pelúcia I - A tosa em gatos é realizada quando alguns são muito peludos (Persas, por exemplo) e podem necessitar dela. Mas, trata-se de um procedimento que tende a estressar muito o bichano, devendo ser feito por profissionais experientes.

Pelúcia II - A troca de pelos de gatos tende a ser sazonal (duas vezes por ano). Mas, como gatos se lambem constantemente para limpeza, muitos pelos ficam pela casa. Escovar frequentemente é uma boa medida para evitar muitos pelos nos móveis. Se houver falhas ou feridas, é importante consultar um veterinário.

Sintomas - Deixe seu gatinho sempre ao seu lado! Quando estão felizes e relaxados, tendem a esfregar as bochechas nas pessoas, ronronar e deitar de barriga para cima. Mas quando perdem o apetite, ficam muito tempo parados e não usam a caixa de areia, podem estar estressados ou doentes. Cuide do bem-estar dele!

Toilet - Seu gatinho pode não fazer suas necessidades na caixinha por problemas de saúde, comportamentais ou ambos. É importante consultar profissionais habilitados assim que perceber esse comportamento.

Cuidado - A criação de gatos que podem sair e voltar para casa a qualquer momento tem sido muito combatida em razão do perigo que pode gerar para o bichano; acidentes, envenenamento, atropelamentos etc. Além de que, caso não sejam castrados, contribuem para o aumento da natalidade e os filhotes poderão sofrer com o abandono.

Caseiro - Se seu gato fica sempre em casa, não se preocupe! Ele não está infeliz. Especialmente se a casa for adaptada para atender às características comportamentais do felino, permitindo que ele expresse seus comportamentos naturais.

Coleira - Se você usa coleira em seu gato saiba que ela não é prejudicial. Alguns gatos podem se adaptar bem e essa pode ser uma forma de fornecer uma atividade extra ao bichano. Mas não se deve forçar caso você note que o gato se sente muito desconfortável.