Dúvidas

Os gatos podem parecer animais de estimação muito independentes, mas eles também precisam de muitos cuidados e carinhos. Por mais que sejam mais autossuficientes do que os cães, com esforço e amor suficientes, os gatos também podem ser leais e próximos de você. Mantenha seu gato saudável alimentando-o, dando carinho e realizando tratamentos preventivos. Seu bichinho de estimação se sentirá amado e pertencente à família.

1- Faça check-ups anuais do bichano.
Desse modo, você terá mais chances de descobrir problemas médicos antes que eles se tornem graves.

Discuta quaisquer preocupações que tiver durante essas consultas, mencionando coisas estranhas que notou no gato, incluindo o modo com o qual ele está miando, comendo, andando ou agindo. O veterinário também deve atualizar as vacinas do gato e colher uma amostra de fezes para checar a presença de parasitas. Qualquer problema encontrado deve ser tratado.

É possível que o veterinário recomende exames mais extensivos para identificar parasitas, problemas cardíacos e renais ou diabetes. Faça check-ups duas vezes ao ano para gatos mais velhos, pois eles tem mais chances de contraírem doenças .


2- Leve os filhotes ao veterinário desde cedo.
Caso você tenha adotado ou comprado filhotes, leve-os ao veterinário na primeira semana.

A partir da oitava semana de vida, os gatinhos devem fazer visitas frequentes ao veterinário. No começo o profissional deve discutir riscos, como a leucemia felina, e em duas ou três visitas os gatos devem ser vacinados (tomando pelo menos as vacinas de raiva e cinomose).

Os filhotes provavelmente possuem lombrigas, que podem crescer e ser transmitidas para os humanos.

O veterinário deve recomendar um tratamento com medicamentos orais.


3- Saiba quando um tratamento médico especial é necessário.
É uma boa ideia juntar um dinheiro para possíveis emergências, mas algumas clínicas também possuem convênios animais que podem cobrir visitas médicas emergenciais.

Caso você note alguma das mudanças abaixo, leve o gato ao veterinário.

- Olhos: corrimento, vermelhidão, estrabismo, coceira, nebulosidade.

- Ouvidos: coceira, odor pútrido, corrimento.

- Respiração: espirros com corrimento, tosse persistente, falta de ar.

- Pele: calombos, inchaço, coceira persistente ou excessiva, lesões, vermelhidão, descoloração amarelada.

- Urina: presença de sangue, micção excessiva, força para urinar, pulverização da urina.

- Digestão: vômito, perda de apetite, constipação, diarreia.

- Geral: letargia, inquietação, confusão, convulsões.


4- Esterilize ou castre o gato.
A esterilização da fêmea e a castração do macho ajuda com comportamentos como a tendência de pulverizar a urina e protege os animais de doenças como tumores mamários e os cânceres de ovário, útero e testículos.

Além disso, você diminuirá as chances de ter filhotes indesejados juntando-se à família. Ao adotar filhotes, é provável que o veterinário recomende a esterilização ou a castração quando eles tiverem entre dois e seis meses de idade.


5- Cuide da pelagem do gato com frequência.
Se o animal possui pelos longos, penteie-os com uma escova raquete. Caso ele possua pelos curtos, utilize uma escova rasqueadeira. Uma escova menor e triangular funciona bem para áreas pequenas, como ao redor da face e das orelhas. Se prefere utilizar um pente, escolha um modelo com dentes largos para pelos longos e dentes finos para pelos curtos, utilizando um pente pequeno e macio para filhotes. Aproveite este momento para checar a presença de pulgas e calombos no gato. Cuidar da higiene da pelagem do gato é importante pois remove pelos mortos, previne bolas de pelo, estimula o fluxo sanguíneo do animal e cria um laço forte entre vocês.


6- Escove os dentes do gato.
Utilize uma escova de dentes macia e uma pasta veterinária (as pastas de dentes para humanos contêm flúor, que é tóxico para os gatos). Comece oferecendo um pouco de pasta para o animal experimentar no primeiro dia. No dia seguinte, deixe que o animal experimente a pasta enquanto você passa os dedos pelas gengivas superiores dele. No dia seguinte, repita o processo fazendo movimentos circulares já com a escova de dentes. Escove um pouco de cada vez, passando a escova pela linha da gengiva em um ângulo para cima. A escovação não deve levar mais de 30 segundos. O cuidado dentário é importante para manter a saúde do animal, pois muitas doenças felinas estão associadas à falta de cuidado e à doenças da gengiva. As bactérias e a placa podem afetar o resto do corpo através da corrente sanguínea, causando dor na boca, perda de dentes, falta de apetite e problemas cardíacos e renais


7- Faça uma limpeza profissional nos dentes do gato de tempos em tempos.
Por mais que a escovação caseira reduza o acumulo de placa e outros detritos nos dentes, ela não é capaz de impedir o acumulo debaixo da gengiva.

Durante a limpeza, o veterinário pode examinar a boca do gato. Como ele precisa ser sedado para a limpeza, esta é a hora ideal para um exame.

Os filhotes são vendidos para companhia e estimação. São liberados para os seus novos Lares entre 16 e 18 semanas de idade já esterilizados. Permitimos serem amamentados pelas suas mães e permanecerem com ela e seus irmãos pelo maior tempo possível para desfrutarem desta alegria. Assim crescerão confiantes, felizes e brincalhões se transformando em gatos bem socializados tanto com pessoas como com outros gatos também. A amamentação natural é fundamental para o bom desenvolvimento do sistema imunológico. Além disso, os filhotes aprenderão mais rapidamente a como utilizar a caixa sanitária e a utilizar arranhadores apropriados.